EnglishFrançaisItalianoPortuguêsEspañol
Menu

TAAG: COMO É VOAR COM ESSA EMPRESA ANGOLANA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

AVALIANDO O VOO DA TAAG

Nossas férias de verão sempre são uma incógnita. Esperamos uma promoção bombástica para definirmos onde vamos passar nossas férias.

Promoção surgida, pronto, próximo destino: África do Sul.

Entramos no site do viajanet e compramos a passagem da TAAG. Confesso que fiquei muito feliz com os valores, mas ao mesmo tempo muito angustiada pois não conhecia a empresa.

As únicas informações que eu tinha eram que a TAAG pertencente ao governo angolano, o que nos deixou mais reticentes, porque já tivemos um problema com a falida PLUNA.

Então, dentro deste cenário, estávamos bem ansiosos, mas buscando informações ficamos sabendo que a TAAG está sendo operada pela Emirates, que vem melhorando a operação da companhia como um todo.

Então, resolvemos vencer nossas barreiras e compramos os tickets rumo ao continente mãe.

Nosso trecho era Rio de Janeiro – Johannesburgo, com conexão em Luanda que é hub dos voos da TAAG (ou seja, todos os vôos da TAAG param em Luanda.)

Como compramos pelo site do Viajanet eu entrei no site da TAAG para marcar nossos assentos, o que não adiantou nada, porque eles mudam de aeronave e todas as marcações caem.

VOU AVALIAR OS SERVIÇOS DA TAAG SEPARADAMENTE

Vamos começar pelo atendimento online da TAAG. Esse ponto realmente me impressionou. Eles possuem chat que funciona e ainda atendem prontamente pelo Whattsap.

NOTA SUPORTE ONLINE: 10.

Saímos de Brasília rumo ao Galeão, Rio de Janeiro de onde pegaríamos nosso trecho Rio – Luanda, Angola. Chegamos no aeroporto com 4 horas de antecedência e fomos para o check-in da TAAG.

Primeiramente fomos ao totem da empresa para iniciar o check-in. Mas não conseguimos fazer a leitura do passaporte, daí nos dirigimos ao balcão.

Caso você não necessite despachar malas, peça ajuda a um atendente da TAAG.

Chegando ao guichê da TAAG, a atendente foi muito prestativa. Pediu o passaporte e o comprovante de vacinação da febre amarela válidos.

Ela nos informou que sem o certificado de vacinação a pessoa não entra nos países africanos e que já voltam no “mesmo” vôo.

LEMBRE-SE QUE SUA VACINA PRECISA TER ACONTECIDO COM ATÉ 10 DIAS DE ANTECEDÊNCIA DA VIAGEM.

Apresentamos os documentos e foi nesse momento descobri que as marcações dos lugares não estavam mais válidas.

Como fomos um dos primeiros a realizar o check-in, a atendente fez tudo para nos colocar juntos. Éramos dois casais, ela nos colocou juntos em todos os trechos.

Um detalhe muito importante é: você terá direito a DUAS malas de 23 kg cada, o que não lhe permite levar UMA de 30kg.

Além das duas malas de 23kg ainda é possível levar uma bagagem de mão de até 8 kg. Então se você não for levar suas malas, pense que na volta com certeza irá querer trazer uns vinhos, artesanatos e etc, e já leve uma mala dentro da outra.

A atendente foi solicita e nos informou que nossa mala só seria retirada em nosso destino final, Johannesburgo. Todos os tickets em mão, partimos rumo a terras africanas.

Fomos para sala VIP aguardar o início do embarque. Acabamos atrasando um pouco e ouvimos nosso nome nos autofalantes e, mesmo a aeronave esperando por nós, não sentimos nenhuma hostilidade da equipe de check-in.

NOTA DO ATENDIMENTO DO CHECK-IN: 10

Já dentro da aeronave, partimos para São Paulo, onde faríamos apenas escala e depois Luanda, onde teríamos uma conexão maior.

A aeronave não era velha, mas também nenhum lançamento. Achei os espaços das poltronas padrão de classe econômica. Os atendentes passaram distribuindo o fone de ouvido, que era bem frágil, o meu e do meu esposo só funcionavam um lado.

Em nosso assento tinham: tomadas para carregar computadores e aparelhos eletrônicos, uma saída USB para celulares, tela de TV.

A inclinação da poltrona é até superior a outras aeronaves, mas como sabem, falamos em milímetros aqui. Uma coisa me chamou atenção, as últimas poltronas antes do banheiro têm uma inclinação excelente. A poltrona também apresenta aquele descanso de pé, o que é muito bom principalmente para os baixinhos.

Em nossa poltrona tinha um travesseiro, daqueles padrão de classe econômica e uma manta laranja, que achei muito fina, mas também é meio padrão. As da TAM são as melhores que já encontrei.

As cadeiras eram 3 x 3 x 3. Sentamos no “fundão” mas não muito próximos ao banheiro para evitar constrangimentos. (OBS: não curto sentar atrás porque normalmente ficamos sem opção de jantar, mas tudo bem, sentamos os quatro juntos ali).

Os banheiros são relativamente pequenos e sem amenities. Apenas copo descartável, toalhas de papel e papel higiênico.

Senti falta dos kits de higiene que trazem aquelas miniaturas de escovas de dente, pasta, tapa olho e aquele pente insolente. Mas não tem nada.

O VOO DE VOLTA

O vôo saiu no horário exato. O vôo de ida foi muito mais tranquilo que a volta. A volta é que foram elas.

A aeronave estava com defeito na poltrona, que não reclinava, mas também não tinha como trocar de lugar já que o vôo estava lotado. As TV’s em toda fileira da minha poltrona não funcionavam.

Uma coisa eu agradeço, as luzes da cabine são acendidas gradualmente com tons de rosa, laranja, azulado até clarear. O que não agride quem está ou estava dormindo.

Outra coisa é, eles tocam uma mesma música infernal para aterrissar e decolar. A mesma música em todos os procedimentos. Nós que fizemos várias escalas, ouvimos ela pelo menos 10 vezes. “É duro, mais é mais seguro”…

NOTA PARA CABINE: 05 (aqui somei a pontuação boa da ida com a ruim da volta)

Já a programação da TV da aeronave é o ponto mais negativo da aeronave. Ela é de fato muito antiga, com um episódio de mini série.

As músicas são ruins e o touch é muito fraco o que nos obriga a apertar com força e incomodar o passageiro da frente. A única coisa positiva foi que era possível jogar poker conectado com outros passageiros.

Já o PAC MAN foi impossível jogar porque o controle não funciona.

NOTA PARA PROGRAMAÇÃO: 04

TAAG

A refeição foi a básica de aeronave classe econômica. Eles serviram na ida um vinho ALMADEM, e na volta um Sul Africano melhor. Uma carne com cenoura e purê de batatas.

Um pão que estava meio de ontem, como todos em aeronaves. Um flã com gosto de nada e uma saladinha que estava melhor.

Pedi para beber um vinho e depois da refeição foram servidos chá e café.

Já o café da manhã foi bem melhor. Tinha um croissant mais ou menos, mas um bolo de chocolate muito bom. Os sucos de frutas tropicais e de laranja.

NOTA PARA REFEIÇÃO DE BORDO: 06

A equipe de comissários da aeronave precisa de recall. Eles são muito ríspidos. Senti essa rispidez muito mais na volta, do que na ida, onde pegamos comissários mais gentis.

Mas na volta foram vários incidentes. Eu solicitei mudar de lugar na volta e eles sequer me responderam. Pedi a 3 comissários para ver se algum me falaria: desculpe mas não será possível, e ninguém me deu feedback.

NOTA PARA COMISSÁRIOS E ATEDIMENTO: 06 (dei 8 pelos de ida e 4 pelos da volta)

O programa de fidelidade da TAAG é o Umbi Umbi. Já ouviu falar? Não? Pois é, esse programa só oferece benefícios para passageiros da própria companhia aérea sendo impossível pontuar nos grandes programas de fidelidade.

NOTA PARA PROGRAMA DE FIDELIZAÇÃO: 1

Chegamos em Luanda onde tivemos alguns contratempos.

Primeiro: Minha vacina de febre amarela está dentro do novo padrão estipulado pela OMS. Ela está escrito Á LIFE. O cara que nos recepcionou no aeroporto não queria aceitar a vacina. Segurou dois médicos que estavam em nosso vôo também. Como eu ainda estava dentro do prazo de vencimento uns 7 dias, eles me liberaram, mas o médico não o vi mais no vôo.

AEROPORTO DE LUANDA

O aeroporto de Luanda Não é legal. Pequeno, quente, desorganizado. A fila para imigração é muito lenta, só há um detector de metais.

Fomos a uma lanchonete para comprar água e eles não passavam o cartão de crédito/débito. Não havia um lugar para sacar dinheiro, ou seja, se não tivéssemos acesso ao lounge do Priority Pass não seria possível beber nem água.

Todos os embarques da TAAG no dia aconteceram no mesmo portão o que acaba gerando muita confusão. Os passageiros estavam meio perdidos.

Existem duas salas VIP no aeroporto. Uma para os passageiros de primeira classe da TAAG e outra do Priority Pass. A do Priority Pass foi a mais simples de todas que já visitei no mundo.

A internet não funcionava e a única coisa servida era uma TOSTA. Um pão com queijo sem manteiga.

Algumas horas depois pegamos o vôo para Johannesburgo.

AVALIAÇÃO FINAL

Depois de quatro voos com a TAAG, eu analiso a companhia como mediana. Ela não tem um serviço de excelência.. Mesmo assim, a relação custo x benefício superou as expectativas e eu não pensaria duas vezes em comprar novamente uma passagem da TAAG se estivesse na promoção.

Nossa dica é: Se aparecer um precinho camarada, compre.

MÉDIA FINAL: 6

2 Comments

  1. Tamiria 13 de julho de 2017 at 23:12 - Reply

    Obrigada pela informação. Estou indo para Cape Town pela TAAG já fui pela South Africa, mas pelo preço escolhi a TAAG. Dizem que o aeroporto é ruim, estou preocupada. Vamos ver quando eu chegar lá.

    • Camila 14 de julho de 2017 at 12:30 - Reply

      Tamiria, eu também achei o custo benefício bom. A idéia é minimizar o que não é bom. Então: Desbloqueie seu cartão de crédito para uso em Luanda. Eu não fiz isso, só notifiquei para África do Sul e por isso não consegui nem comprar uma água. Outra idéia é: Você conhece o priority pass? É um programa que te dá acesso as salas VIP dos aeroportos. É sensacional. Você paga uma taxa anual, mas economiza com jantar e lanches em aeroportos que são caríssimos e ainda tem espaço para dormir, salas de banho com chuveiros individuais e amenities. Jantar, vinho e etc… O de Luanda que é muito ruim, você terá agua, refri, sanduíches e wifi para esperar o próximo voo deitada num sofá. Se quiser saber mais fizemos um post falando como é.

Leave A Comment