EnglishFrançaisItalianoPortuguêsEspañol

SIGHISOARA A CIDADE DO DRÁCULA. DESCUBRA A VERDADE POR TRÁS DA LENDA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Sighisoara, a cidade do Drácula

Mesmo os viajantes que vão à Romênia sem a intenção de conhecer mais sobre a lenda por trás da história de Bram Stoker. Todos acabam reservando ao menos um dia para pegar um trem em direção à Transilvânia e visitar Sighisoara.

Essa linda região central do país e popular pelas histórias, tradições e lindas paisagens.

A melhor forma de visitar Sighisoara  é pegando um trem na Gare du Nort em Bucarest. (Veja os horários de trem, aqui.). Existem algumas outras formas também, como ônibus e carro. Mas essas formas são mais indicadas no verão, porque as estradas estão sem neve.

Para aqueles que adoram dirigir, nossa dica é ir para Sighiora de carro pela rota TransFagarasan scenic road.  Uma estrada cenográfica linda, comumente chamada de Alpes da Trânsilvania.

Normalmente, a primeira parada é Brașov, uma grande cidade turística da região, para logo mais chegar a Sighisoara, a cidade do Drácula – ou melhor, a cidade onde Vlad Tepeș nasceu.

Sighisoara, a cidade do Drácula

Mesmo os viajantes que vão à Romênia sem a intenção de conhecer mais sobre a lenda por trás da história de Bram Stoker. Todos acabam reservando ao menos um dia para pegar um trem em direção à Transilvânia e visitar Sighisoara.

Essa linda região central do país e popular pelas histórias, tradições e lindas paisagens.

A melhor forma de visitar Sighisoara  é pegando um trem na Gare du Nort em Bucarest. (Veja os horários de trem, aqui.). Existem algumas outras formas também, como ônibus e carro. Mas essas formas são mais indicadas no verão, porque as estradas estão sem neve.

Para aqueles que adoram dirigir, nossa dica é ir para Sighisoara. de carro pela rota TransFagarasan scenic road.  Uma estrada cenográfica linda, comumente chamada de Alpes da Trânsilvania.

Normalmente, a primeira parada é Brașov, uma grande cidade turística da região, para logo mais chegar a Sighisoara, a cidade do Drácula – ou melhor, a cidade onde Vlad Tepeș nasceu.

Quem foi Vlad Tepeș?

O Conde Drácula, provavelmente foi inspirado em VLAD III,comumente conhecido como Vlad, o Empalador. Um príncipe de comportamento implacável que governou por três vezes a região da Transilvânia.

Seu pai, VLAD II era membro de uma sociedade cristã romana chamada Ordem do Dragão, criada por nobres da região para defender o território da invasão dos turcos otomanos. Daí surgiu esse apelido de Dracul, que significa: dragão. Seu filho passou a ser chamado Draculea, já que a terminação “ea” significa filho. Mas a palavra “dracul”, entretanto, possuía um segundo significado que era: (“diabo”) o que causava ainda mais superstições ao redor da família.

De fato VLAD III era implacável, executava seus inimigos e os empalava com grande crueldade, o que o rendeu o nome de Vlad, o empalador.

Na região é lembrado como um cavaleiro cristão que lutou contra o expansionismo islâmico na Europa. É um herói popular na Romênia e na Moldávia ainda hoje.

A lenda

Ao mesmo tempo em que Vlad III se tornou famoso por  sua crueldade e sadismo, sendo taxado de louco, era um guerreiro respeitado por sua ferocidade contra os turcos. Podemos ver muito dessa história no filme: Vlad – a história nunca contada.

Mas a confusão se deu após a invasão da Valáquia pela Hungria em 1447.  Vlad II e seu filho mais velho, foram assassinados. Em 1456, Vlad Țepeș regressou à região e retomou o controle das terras, assumindo novamente o trono de Valáquia. Este retorno tardio de Vlad III teria confundido os moradores da região. Alguns acreditavam ser Vlad II retornando anos após a sua morte, atribuindo a idéia de imortalidade

Todos essas histórias a cerca de Vlad, mais seu comportamento sanguinário, foram fonte de inspiração de Bram Stoker para o livro Drácula, onde ele é um vampiro.

Porém, é importante lembrar que a lenda sobre vampiros já eram populares na região. Tanto na região da Transilvânia, como nos Balcãs e Europa Ocidental.

Sighisoara

Sighișoara é uma cidade pequena, com pouco menos de 30 mil habitantes. Cercada de histórias, espaços verdes e uma bela arquitetura. São poucos os visitantes que decidem passar a noite por lá, mas a cidade conta com bons hotéis.

O turismo comum em Sighishoara é durante o dia. Muitos visitantes passam o dia visitando a cidade e arredores para depois pernoitar em uma cidade maior, como Sibiu ou Brașov.

Como a cidade é pequena, é possível visitar todos os pontos turísticos a pé e todos ficam próximos, no centro histórico da cidade.

SIGHISOARA A casa DO DRÁCULA

Pontos de interesse

A Torre do Relógio é visível de qualquer lugar uma vez que se entra em Sighișoara. Normalmente é a primeira parada dos turistas, que costumam seguir para a Escada Coberta (Scara Acoperita).

Com quase 200 degraus, a Escada Coberta foi construída em 1642 para facilitar a ida à escola e à igreja localizadas no topo da colina e que funcionam até hoje.

Uma outra opção logo ao lado da Torre é a Casa do Drácula. Um sobrado onde funcionam um restaurante e o Museu de Armas. Ele fica aberto ao público que deseja conhecer onde Vlad e seu pai viveram.

A entrada custa menos de 2 euros, mas nem todos romenos acreditam que aquela era realmente a residência do empalador.

As igrejas históricas, os museus de História, Armas, Cemitério e a Casa de Tortura.  Definitivamente valem a visita, sendo possível adquirir um passe para os três de uma só vez na Torre do Relógio.

Transilvânia e suas lendas

Como ir

Ônibus e trens saem de diversas cidades todos os dias em direção à Sighișoara. Para fazer uma busca rápida de preços e horários, basta acessar o site da Autogari ou aqui.

Se interessou ou conhece alguém que curtiria saber mais sobre a região central da Romênia? Compartilhe nosso post com seus amigos que adorariam conhecer a cidade do Drácula.

Deixar um comentário