KYOTO: ROTEIRO PARA CONHECER

KYOTO: UM ROTEIRO DO CENTRO HISTÓRICO JAPONÊS

A antiga capital do Japão por mais de mil anos ainda preserva muito de seu passado. É por isso que Kyoto ou Quioto mantém diversos locais considerados Patrimônio Mundial da Unesco.

Tudo graças à incrível culinária local, seu bairro de gueixas e os recantos religiosos e históricos. Assim, a cidade se torna um destino obrigatório para visitantes. Conheça mais sobre os atrativos de Kyoto e o que não pode perder nessa viagem.

Como chegar a Kyoto:

Da capital Tóquio, é possível chegar a Kyoto por meio de trem, ônibus e até avião. Você também pode alugar um carro. Mas o transporte público japonês é tão eficiente que certamente não sentirá necessidade disso.

TRANSPORTE PÚBLICO NO JAPÃO

Trem-bala

Os trens-bala japoneses são chamados de Shinkansen. O mais rápido é o Nozomi, que custa ¥13.710 (cerca de R$400), somente ida. A viagem leva 2h 20min. O Hikari sai por ¥13.400 (uns R$380) e é possível chegar em 2h 40min.

Já o Kodama é o mesmo preço do Hikari, mas faz o percurso em 3h 50 min.

Duração: De 2h 20min a 3h 50min

Dica: Dependendo da temporada, é possível comprar passagem pelo programa do Kodama por até ¥10.100 (cerca de R$280). Mas é preciso comprar com antecedência.

Preço: ¥10.100 a ¥13.710 (apenas ida)

Para comprar passagens para Kyoto a bons preços entre no site da empresa. 

TRANSPORTE PÚBLICO NO JAPÃO trem comum kyoto

Trem comum

Ainda há opção de pegar o trem comum. Mas o percurso é feito em 9h. O valor é um diferencial. O turista pode comprar o Seishun 18, que é um pacote para 5 dias, em que se pode viajar quantas vezes quiser por ¥11.850 (em torno de R$340). Apenas ida sai por ¥2.370 (uns R$70)

Duração: 9h

Preço: ¥2.370 (apenas ida)

Avião

Embora Kyoto não tenha aeroporto, a vizinha Osaka conta com o Kansai International Airport. E há opções de voos bem econômicos partindo de Narita, em Tóquio. E o tempo de viagem é de 1h 30min. As tarifas ficam em torno de ¥4.590 (R$130), pela Vanilla Air, Jetstar ou Peach, mas há preços promocionais por até ¥2.490 (R$70), só ida.

Duração: De 1h30 a 4h30 (dependendo do tempo de conexão)

Preço: De ¥2.490 a ¥6.700 (de acordo com a temporada ou taxas de aroportos)

Ônibus

Há diversas empresas que fazem o percurso de Tóquio a Quioto de ônibus, como a Midnight Express, Tokyu and Willer. O valor é de cerca de ¥3.520 (R$100) e a viagem leva de 6h a 9h.

Duração: 6h a 9h

Preço: Em torno de ¥3.520

kyoto

O que fazer em Kyoto:

Kyoto tem diversos pontos turísticos interessantes. A maioria deles está relacionado a templos e meditação. Vamos sugerir 5 locais imperdíveis. Mas nada impede que você se apaixone por outros lugares.

Nijō Castle (城):

Começamos nosso roteiro indo para um dos principais castelos de Kyoto, o 二条城 ou Nijō Castle. Ele era da época em que a cidade era a capital do Japão. O local é construído de forma a dificultar o acesso ao portão principal. Assim, evitam que o local seja invadido.

Esse castelo foi construído em 1603 e era a residência de Tokugawa Ieyasu, o primeiro shogun da Era Edo (1603-1867). Atualmente, é considerado Patrimônio Mundial pela Unesco.

Não é permitido tirar foto dentro dos prédios, apenas nos jardins, que são belíssimos.

Quando visitar: Os melhores períodos são a primavera e o outono. Em abril, as cerejeiras se destacam no local. Já de outubro a novembro, é possível apreciar a folhagem colorida.

Horário de funcionamento: Das 8h45 às 17h.

Fechado em: Janeiro, Julho, Agosto e Dezembro

Valor da entrada: ¥600 (uns R$20)

Há guias em áudio por ¥500 (R$15)

Como chegar: Da estação de Kyoto, basta pegar a linha de metrô Karasuma até a estação Karasuma-Oike e transferir para a linha Tozai até a estação Nijojo-mae. A viagem leva 15 minutos e custa ¥260 (cerca de R$8). Os ônibus 9, 50 ou 101 também fazem a viagem, por ¥230 (uns R$6). Da rodoviária, há a linha de ônibus número 12.

kyoto

Kinkaku-ji (金閣寺) ou Templo do Pavilhão Dourado:

Depois, nos dirigimos ao Kinkaku-ji (金閣寺), chamado de Templo do Pavilhão Dourado. O nome se deve ao fato de o local ser todo feito de ouro. E olhar para ele realmente transmite uma paz enorme.

Esse templo foi construído em 1397 e serviu como residência do shogun Ashikaga Yoshimitsu. A estrutura é impressionante e vale totalmente a pena a visita. É certamente um dos pontos turísticos mais incríveis do Japão.

Este templo tem um ponto muito interessante: o Bonsai mais antigo que se conhece. Na verdade, a árvore plantada aqui, há mais de 600 anos era, originalmente, um bonsai. Ele foi plantado no solo pelos monges, cresceu e continua vivo.

Horário de funcionamento: Das 9h às 17h.

Taxa de entrada: ¥400 (pouco mais de R$10).

Como chegar: As linhas de ônibus 101 e 205 saem da estação de Kyoto. É preciso descem na parada Kinkaku-ji Michi. Para quem sai de outros pontos da cidade, há ainda os números 59 e 12 que param no ponto Kinkaku-ji Mae.

Endereço: 1 Kinkakuji-cho, Kita-ku, Kyoto, Japan; 81-(0)75-461-0013

kyoto

Kiyomizu-dera (水寺):

Esse é um dos maiores templos do Japão. A vista de lá é linda. Saímos do Kinkakuji e fomos diretamente para lá. Só paramos para saborear a rica gastronomia local. De lá, dá para ver quase toda a cidade de Kyoto!

Esse é o templo mais visitado de Kyoto. E foi construído em homenagem a Kannon, a deusa da misericórdia. Fica no topo de uma colina e realmente garante um visual incrível.

A maioria dos japoneses prefere ir na parte da noite, quando as luzes deixam o local ainda mais incrível. Na primavera e no inverno, muita gente acaba indo ao local na parte da noite. Isso porque a iluminação do templo nesse período deixa a vista ainda mais extraordinária.

Em fevereiro de 2017,o Kyomizudera fechou para renovação do seu telhado. Portanto a partir de junho, os visitantes já vão poder aproveitar os resultados dessa obra de melhoria.

Dica: Em frente, há uma loja da Hello Kitty!   Vale a pena parar para comprar algumas lembrancinhas para crianças – ou até mesmo para adultos.

Como chegar: Da estação de Kyoto, há algumas linhas de ônibus que fazem esse trajeto, como a 100 ou 206. A viagem leva cerca de 15 minutos. E basta descer na parada Gojo-zaka ou Kiyomizu-michi. A partir daí, é necessário fazer uma caminhada de uns 10 minutos até o topo da montanha onde fica o templo.

Outra opção é pegar o metrô na linha Keihan até a estação de Kiyomizu-Gojo. Mas o visitante terá que andar uns 20 minutos nesse percurso.

Horário de funcionamento: Da 6h às 18h (ou até 18h30 nos fins de semana e feriados, do meio de abril até julho e todos os dias nos meses de agosto e setembro)

Valor da entrada: ¥400 (cerca de R$10)

Iluminação de primavera e outono: Das 18h às 21h, a partir do meio de março até o meio de abril. E das 17h30 às 21h, de novembro ao início de dezembro.

Fushimi Inari Taisha (伏見荷大社):

Esse importante santuário xintoísta no sul do Japão data de antes do ano de 794. O local é famoso por seus milhares de portões torii vermelhos, que se estendem ao longo de uma trilha que leva a seus principais prédios.

Os toris foram doados ao templo, principalmente por empresas, em agradecimento aos desejos realizados. São mais de dois mil perfazendo o caminho até o alto da montanha.

Nesse lugar cheio de paz, há uma floresta do monte sagrado de Inari, que fica a 233 metros de altura. Esse ponto turístico é ótimo para quem gosta de fazer caminhadas. Diz a lenda que se você tem um desejo, você deve dar 10 voltas no percurso para que ele seja realizado. Por isso, o santuário fica aberto 24h.

Como chegar: O santuário de Fushimi Inari fica logo na saída da estação JR Inari, a segunda depois da estação de Kyoto na linha JR Nara. O trajeto dura 5 minutos e o custo é de ¥140.

Horário de funcionamento: 24 horas por dia

Entrada gratuita

kyoto

Ginkakuji (銀閣寺) ou Pavilhão Prateado:

Embora não seja tão famoso quanto o dourado, o pavilhão prateado também é muito visitado em Kyoto. Mas não espere encontrar vestígios de prata nas suas construções. Apesar do nome, esse templo budista não leva nada dessa substância.

Construído em 1482 pelo xogun Ashikaga Yoshimasa, o local serviu como sua casa durante a aposentadoria. E foi modelado de forma semelhante ao Kinkakuji, que é o pavilhão dourado, feito por seu avô.

Há ainda uma montanha atrás dos prédios principais com uma visão de tirar o fôlego. Portanto, é outro dos lugares que valem a pena visitar em Kyoto.

Horário de funcionamento: Das 8h30 às 17h30 (ou das 9h às 16h30, de dezembro a fevereiro).

Taxa de entrada: ¥500 (cerca de R$15).

Como chegar: Há ônibus diretos da estação de Kyoto pelas linhas 5, 17 ou 100. Eles passam a cada 35 ou 40 minutos. O valor é ¥230 (uns R$6).

Site: shokoku-ji.or.jp

Gion Kyoto

O bairro de Gion

O famoso bairro das lanternas vermelhas de Kyoto. É o bairro mais tradicional da cidade. Neste bairro há o teatro da cidade com a apresentação de shows de Geikos e Maikos (aprendizes de Geikos). As Geikos são artistas da música, cultura e dança. Em Kyoto o nome Gueixa é tido como desrespeitoso.

Gion é um bairro que possui diversas casas de chá e muitos restaurantes típicos. O bairro é lindo e bem aconchegante. Um mergulho na história. O ideal é passear aqui no final do dia, quando os restaurantes abrem, as lanternas se acendem e podemos, com sorte, nos deparar com as Geikos à caminho de seus shows.

Até a próxima

Kyoto é realmente incrível. Mas uma recomendação é visitar a vizinha Osaka, que fica a 40 minutos de trem pela Kintetsu Line. A cidade tem um pouco mais de badalação, lugares para comer e beber e é mais moderna.

Na verdade, a culinária de Osaka é uma das mais famosas do Japão. Então, aproveite a visita e dê um pulo nesse lugar impressionante. E justamente ele que será tema do nosso próximo post.

 

By | 2017-08-15T13:50:27+00:00 jun, 2017|JAPÃO, KYOTO|

Leave A Comment